Skip to main content

Você é um Bom Líder e Gestor ?

Desenvolvo lideranças. Faço isso por acreditar na importância dessa missão.

 

Há oito anos como coach, ainda percebo dificuldades em alguns aspectos que são muito relevantes para que realmente se cumpra a missão do líder, do gestor, independentemente do nível que ele atua.

 

Nessa função, é fundamental inspirar o time a atuar na melhor performance possível, fazer o que precisa ser feito para que os planos da organização sejam alcançados, com a missão e o propósito sempre em mente e com todos os valores respeitados e vividos.

 

Que tal algumas práticas para contribuir que tudo isso seja constante e consistente, relevante e de resultados? Tenha um plano de trabalho. Um mapa de atuação. Uma rotina de gestão.

 

1
Indicadores e atividades. O que mostra que você está fazendo um bom trabalho? Ou seja, que números você precisa ver diariamente/semanalmente/mensalmente? Quais as atividades que só você pode fazer, ninguém mais, mesmo que tivesse gente muito bem preparada para fazer? Muitos líderes fazem trabalhos de funções subordinadas, sob a máscara de não terem pessoas preparadas. Vale lembrar que preparar as pessoas (ou contratar as pessoas preparadas é a sua missão). Determine na sua agenda qual será o momento em que você vai fazer isso.

2
Separe um tempo para conversar com seu time. A frequência depende de cada negócio, da maturidade de cada time e cada gestor. Não ter esse compromisso na sua agenda é deixar o time abandonado. Monte uma pauta regular e com espaço para assuntos que possam deixar sua equipe ainda mais forte.

3
Tenha um momento individual com cada liderado direto. É importante que ele saiba o que você espera dele e quais indicadores você analisa para isso. O feedback é fundamental para que você saiba o que motiva cada um e até o que desestimula, aproveite para responder mostrando a ideologia da empresa, se for o caso, mas deixe claro que todo opinião é bem vista e será estudada. É uma forma de você o ajudar a melhorar habilidades, atitudes e relacionamentos e, porque não, melhorar também o processo do trabalho.

4
Agora é a sua vez de saber se está indo bem. Peça que lhe digam o que você deve continuar fazendo por contribuir muito para o melhor de todos e o que você deve prestar mais atenção. Faça esse bate-papo, pelo menos, a cada seis meses para analisar se você está evoluindo e ficando mais vez mais alinhado à empresa e a sua responsabilidade.

5

Coloque na sua agenda um bate papo com seu líder. Se ele não lhe provocou para isso, pense no que é importante você mostrar a ele, que indicadores seria legal ele acompanhar. Prepare uma sugestão de pauta, peça uma frequência viável e produtiva.

Se você levar a sério essas dicas, você realmente terá a sua gestão em mãos.

 

E assim, você saberá onde atuar para ajustar a estratégia a cada passo, além de ter o time em suas mãos, por estarem próximos e alinhados.

 

Aí, é só perceber a performance e os resultados em ascensão. Se você já faz essas coisas, parabéns! Você faz parte de um grupo de gestores diferenciados.

 

E pode nos contar o quão gratificante é se dedicar às pessoas para que elas se dediquem às tarefas.

 

Por Janaina Manfredini

 

Portal Administradores

 

Blog Estude Sem Fronteiras

Hábitos corretos no caminho para uma Boa Liderança

1. Você busca “sarna para se coçar”


Quando surge um impasse no trabalho, você costuma esperar que outra pessoa o resolva ou toma para si a responsabilidade de solucioná-lo? Segundo Duhá, profissionais com potencial para liderança são atraídos por problemas — ou desafios, como preferem entendê-los.

 

Essa é, afinal, a principal missão de um gestor.

 

“O líder é a pessoa que vai mudar, renovar, aperfeiçoar processos”, explica o professor.

 

Se um jovem demonstra insatisfação com o status quo e luta para alterá-lo de alguma forma no cotidiano, há grandes chances de ter sucesso como gestor no futuro.

 

2. Tem um ouvido sensível


O grande diferencial dos bons líderes é a capacidade de escuta, isto é, a sensibilidade para perceber necessidades, desejos, angústias e motivações das pessoas ao seu redor. Se você tem facilidade para esse tipo de diagnóstico, é provável que tenha um alto grau de inteligência emocional, o que facilita (muito) a ascensão a um cargo de comando.  

 

“Futuros líderes têm o hábito de observar seus pares e chefes, e ler o que está implícito no ambiente”, diz Abreu.

 

“A partir dessa escuta, eles muitas vezes dão conselhos informais que trazem impactos positivos para o negócio”.

 

3. Acompanha e valoriza o trabalho alheio


Você costuma se interessar pelos resultados dos seus colegas? Oferece ajuda e feedback quando necessário? Vibra com suas próprias vitórias, mas também com as alheias?

 

Em caso afirmativo, garante Duhá, é bem provável que esteja na trilha certa para se tornar um grande líder.

 

Isso porque, quando se torna chefe, um profissional deixa de obter resultados apenas por meio do seu próprio trabalho: ele passa a perseguir objetivos por meio da atividade de outras pessoas.

 

“Um bom líder está sempre atento aos seus funcionários e trabalha para desenvolvê-los”, diz o professor da PUC-RS.

 

4. Fala só quando tem certeza


O hábito de buscar o máximo possível de embasamento para suas afirmações em reuniões, apresentações ou outras situações profissionais é outro sinal típico de que você está ficando pronto para ocupar a cadeira do chefe.

 

“Um líder em potencial costuma se aprofundar nas informações, ele nunca é superficial nas suas falas”, diz Abreu.

 

Quando ocupar um cargo de gestão, essa preocupação com a correção e a consistência das suas falas será essencial para ter credibilidade diante da própria equipe e da empresa como um todo.

 

Blog Estude Sem Fronteiras

Profissionais mais Escassos no Brasil

São Paulo — Um novo relatório do ManpowerGroup revela que 43% das empresas brasileiras têm dificuldades na hora de contratar. O quadro é global: segundo a consultoria, empregadores do mundo todo estão enfrentando a mais aguda escassez de talentos desde a crise de 2008.

 

A Crise de Profissionais Talentosos

 

O levantamento, que ouviu mais de 42 mil empresas em todos os continentes, aponta que globalmente 4 em cada 10 empregadores passam por problemas para preencher seus postos de trabalho. No Japão, o país com escassez mais aguda, 86% dos empregadores relataram o desafio.

 

Na média global, as vagas que dão mais dor de cabeça aos recrutadores são as dos trabalhadores de ofício — um resultado que se repete pelo 5º ano consecutivo na pesquisa do ManPower Group. Profissionais de TI e engenheiros também se destacam no topo do ranking, ocupando a 2ª e a 4ª posições respectivamente.

 

No Brasil, os profissionais mais escassos são os técnicos, seguidos por secretários, recepcionistas e assistentes administrativos.

 

As principais razões para a dificuldade de contratação, no caso brasileiro, são falta de habilidades técnicas (41%), falta de habilidades pessoais (17%), falta de experiência (14%) e expectativa de um salário maior que o oferecido (14%).

 

Para Nilson Pereira, CEO do ManpowerGroup no país, os resultados mostram que as empresas lutam para atrair pessoas qualificadas – um dado que merece a atenção do profissional brasileiro. “É um indicativo para ele intensificar o networking e se atualizar para conseguir o trabalho”, diz ele em nota.

 

Veja abaixo a comparação dos 10 profissionais mais escassos no Brasil e no mundo, segundo a pesquisa:

 

Ranking Profissões mais Procuradas no Brasil Profissões mais Procuradas no Mundo
1 Técnico Trabalhador de Ofício
2 Secretário, Recepcionista e Assistente Administrativo Profissional de Tecnologia da Informação
3 Operador de Máquinas e de Produção Representante de Vendas
4 Trabalhador de Ofício Engenheiro
5 Representante de Vendas Técnico
6 Executivo Motorista
7 Profissional de Finanças e Contabilidade Profissional de Finanças e Contabilidade
8 Motorista Executivo
9 Engenheiro Operador de Máquinas e de Produção
10 Profissional de Tecnologia de Informação Secretário, Recepcionista e Assistente Administrativo

 

Fonte: Guia do Estudante
Por Claudia Gasparini – 23/10/2016

 

Tecnologia Informacao
Cursos de Tecnologia de Informação | Categoria: Tecnologia de Informação de 30 a 340 Horas

 

Orientação Profissional na Escolha da Profissão

Você se sente perdido ao pensar qual curso deseja fazer? Qual profissão seria mais adequada para seu perfil? Sente uma pressão de seus pais para escolher o rumo de sua vida? De que tipo de profissional você será daqui a 5 anos ?! Isso tudo é normal.


Nós do Blog do Estude Sem Fronteiras iremos te ajudar !

 

O momento que marca o rito de passagem da adolescência à vida adulta, marcado pela escolha profissional que, atrelada à escolha do curso e da faculdade que deseja escolher, causa espanto, ansiedade medo e frustração.

 

Como encarar essa etapa da vida?


Da forma mais natural possível. O Prof. Dr. Marcio Girotti, Diretor da FATECE, explica como passar por esse momento e dá dicas para escolher o melhor caminho. 

 

Girotti: A melhor coisa a fazer para passar por esse momento é não pensar nele de forma direta, tente levar a vida como ela é, com sua rotina, objetivos e projetos. Com isso, a ideia da escolha passa despercebida, e você vai descobrir o caminho de forma natural.

 

Outra coisa interessante é pesquisar sobre a área que deseja atuar, a profissão que pensou em escolher, isso ajuda a entender um pouco sobre a profissão, mercado de trabalho, projeções e dificuldades; nesse ponto, já se elimina algumas possibilidades de escolha.

 

O ponto principal, quando se quer escolher, é partir daquilo que se tem afinidade, e isso acaba sendo concentrado na área que você mais gosta, entre elas: saúde, esporte, humanas, biológicas, exatas, tecnologia, entre outras.

 

Se eu gosto de funções ligadas a gestão, organização, finanças, estou próximo da área de humanas e exatas, posso escolher ser um contador ou um administrador, por exemplo.

 

Como se decidir: facilidade de organização ou facilidade com números? Já é uma dica: se você não tem facilidade com números, já pode excluir a área de exatas e, em alguns casos, a área de tecnologia.

 

Outra dica é partir da exclusão: se não gosta de ler, não faça nenhum curso ligado a humanas, a chance de você não se adaptar é grande.

 

Se não gosta de agulhas, seringas, cortes, ferimentos, você não se identifica com a área de saúde.

 

Então fica a dica!

 

Conheça melhor a área e a profissão que deseja seguir, comece por excluir o que não gosta e, aos poucos, você irá se identificar com aquilo que realmente quer seguir.

 

Orientacao Profissional
Cursos em Gestão, Educação, Direito, Comunicação, Engenharia, Psicologia, Tecnologia e Saúde!

Crise

Dicas para Destaque em Meio a Crise

O que fazer para se destacar e ser escolhido para um cargo no meio de tantas pessoas qualificadas?

Realizar cursos é um importante diferencial para o profissional que está trabalhando ou quer encontrar uma oportunidade de trabalho.

A
tualmente está mais demorado achar uma vaga, não só por causa da crise, mas muitas vezes, porque falta candidato com a qualificação exigida.

Segundo Renata Motone, consultora de recursos humanos da Luandre, não adianta ter apenas a formação básica.

As empresas querem, mais do que nunca, um currículo recheado:

“As empresas aumentam a exigência para abrir uma vaga justamente porque ela não quer um alguém para ser desenvolvido, para ser treinado. Ela quer trazer alguém pronto de verdade. Desenvolver um profissional internamente significa um custo, um gasto para esta empresa, que ela neste momento não quer ter”.

Fonte: g1.globo.com

 

Cursos para Evolução Funcional | Cargas Horárias de: 40 Horas a 340 Horas

 

O Aprimoramento Constante é Realmente Crucial na Carreira de um Gestor?



O papo de hoje aqui no Blog Estude Sem Fronteiras é sobre Gestão! Será que é realmente necessário para um Gestor estar sempre realizando cursos de aperfeiçoamento?

Se você é um Gestor ou tem interesse e sonha em ser um continue lendo e tire suas dúvidas!

As empresas precisam de Gestores que busquem um aprimoramento constante para desempenhar o papel de líder.

Isso inclui especializações, cursos de aperfeiçoamento e desenvolvimento pessoal e profissional, e o conhecimento adquirido no trato diário com as pessoas.

Uma empresa com um bom Gestor tem a sua frente um universo de oportunidades de negócios.

O líder deve representar a empresa em todos os momentos, colaborando com o marketing da organização e transmitindo os valores, a missão e os objetivos da empresa para funcionários, parceiros, fornecedores e clientes.

O bom Gestor é importante porque ele reflete a ideologia e a postura da organização na forma como desenvolve o seu trabalho.

Esse profissional pode determinar o futuro de uma empresa e, por isso, deve contar com toda a qualificação possível para buscar uma gestão de valor e os melhores resultados no âmbito corporativo.


A IMPORTÂNCIA DE UM BOM GESTOR NA EMPRESA

Por Max Mourão

O bom gestor é um líder que sabe combinar os interesses da empresa com um bom tratamento para seus colaboradores.

O profissional que tem o objetivo de administrar uma equipe e uma empresa deve ter em mente que o espírito de trabalho em grupo e a busca pela excelência precisam permear todas as atividades executadas diariamente.

Uma empresa que tem um bom gestor trilha caminhos para o sucesso com mais facilidade. A pessoa que está à frente da organização deve ter pro atividade, motivação e planejamento para uma boa administração empresarial.

A capacidade de liderança, uma mente aberta para solucionar conflitos humanos e muita assertividade também são características fundamentais para o gesto de empresa.

Quando a organização tem um profissional capacitado para administrar a rotina de trabalho e as situações do dia a dia, ela se coloca um passo à frente das concorrentes de mercado e cria um ambiente empresarial agradável tanto para seus colaboradores quanto para seus clientes.


Os diferenciais de um bom líder


A importância de um bom gestor na empresa vai muito além da manutenção das questões burocráticas e administrativas. Com um bom líder, as organizações conseguem motivar os trabalhadores e melhorar sistematicamente os resultados financeiros.

O gestor é, em muitos casos, a referência da empresa. Por isso, ter uma liderança com espírito jovem e empreendedor, com ideias criativas e inovadoras e com capacidade de adaptação garante que a empresa se mantenha em atividade de forma bem sucedida.

Os líderes precisam ser maleáveis, devem saber reconhecer oportunidades e agir nos momentos oportunos.

O bom líder não é aquele que está sempre disposto a criticar seus colaboradores, mas sim aquele que tem um olhar apurado e sensibilidade para lidar com as pessoas e seus sentimentos. 

A liderança da empresa deve ter uma postura profissional e ética, servindo como espelho para os demais.

Além disso, o gestor qualificado está sempre em busca de novos conhecimentos, atualizações e novos caminhos para o crescimento da empresa. Diante disso, é possível afirmar que o líder tem um papel essencial no crescimento e consolidação de um negócio. Por isso é tão importante que as empresas contratem pessoas eficientes e dispostas para cargos de liderança.


Aprimoramento constante no papel de líder

As empresas precisam de gestores que busquem um aprimoramento constante para desempenhar o papel de líder.

Isso inclui especializações, coaching e desenvolvimento pessoal e profissional, e o conhecimento adquirido no trato diário com as pessoas.

Uma empresa com um bom gestor tem a sua frente um universo de oportunidades de negócios.

O líder deve representar a empresa em todos os momentos, colaborando com o marketing da organização e transmitindo os valores, a missão e os objetivos da empresa para funcionários, parceiros, fornecedores e clientes.

O bom gestor é importante porque ele reflete a ideologia e a postura da organização na forma como desenvolve o seu trabalho.

Bons Gestores podem determinar o futuro de uma empresa!

Fonte: Max Mourão

 

Gestao
Cursos de Gestão em diversas áreas | Categoria: Gestão – 40 a 340 horas

 

Veja Mais: Curso de aperfeiçoamento | Curso educação especial 180 horas | Literatura inglesa.